quarta-feira, dezembro 10, 2008

AlokadaMarina

Eu nunca fui muito ciumento. Mas sei lá, de vez em quando a gente dá uns ataques insanos, né? Pelo menos eu, que sempre tentei ser equilibrado quando namorava, já fiz algumas vergonhas.

Há uns 3 anos, quando o namoro estava começando, rolava uns conflitos com relação aos ex-namorados do namorado. Tipo... eu nunca tive ciúme de amigo, família, estranhos na noite - até porque só de olhar eu já deixo bem claro qual é o meu território - e nêgo conhece bem o meu gênio.

Mas ex, gente, é uma praga. Eu tenho horror a ex, principalmente quando é daquele tipo que adora fazer a íntima - muitas vezes, só pra provocar - e já chega abraçando e cheirando o cangote. Vai cheirar o cu da sua mãe, desgraça, eu penso. Mas dou aquele sorriso lindo e finjo que tá tudo ótimo.

Tá, é mentira. Fecho a cara mesmo e chamo pra porrada. Aliás, isso quase aconteceu em uma X Demente. O ex todo sorridente e eu querendo socar a cara dele. Detalhe: a barbie tinha 3 vezes o meu tamanho...mas como dizem por aí: você pode até apanhar depois, mas ganha a briga quem foi lá e deu o primeiro tapa.

Oi? Barraqueiro sim, e daí?

Numa outra vez, quase armei outra confusão na Marina da Glória. E não faço idéia do motivo. Aliás, não me lembro do antes, só do momento. E o pior: todo mundo lembra, de tão bafônico que foi.

E não é que agora, depois do término do meu namoro, esse tal ex reapareceu? Por uma dessas coincidências do destino, fui parar na mesma rodinha de amigos dele e do atual namorado no meu recente retorno às pistas. Daí que um belo dia na TW, ele chamou um amigo - que por sua vez, estava presente naquele fatídico dia e lembrava da cena, claro -, contou toda a história e disse pra mim: "Lembra daquela situação toda e coisa e tal?".

Morri de vergonha, óbvio. O mais constrangedor é que tanto ele quanto o namorado são super educados e simpáticos...
Não é nada legal ser babaca assim - e ele tem todo o direito de me achar um escrotinho -, mas cheguei à conclusão que esse fatos fazem parte da vida.

Afinal, alokaciumenta da história sou eu!
E a gente só aprende sendo otário, não é mesmo?

4 comentários:

introspective disse...

Nouuuussa, que nelvosa! E louca! ;)

Lindinalva Zborowska disse...

pode se internar, quiridjinha!! Não tem remédio tarja preta que resolve. Nem doses maciças de rolox, pintex e necacetanol vão solucionar essa sua insanidade. É um caso perdido para a ciência. Sinto muito!!
Um beijo e me liga em Bangú que estou visitando Lindicreuza!!!

Daniel disse...

acho que eu é que sou muito zen. Me dou muito bem com o meu ex e todos os meus ex-peguetes.
Também... sou sempre eu que dou o pé na bunda. Porque então EU ficaria com a mágoa? :P

Estefanio disse...

Hahaha essa história foi engraçadíssima né? Agora, pq na hora eu lembro que o climão reinou e até eu fiquei com vergonha por você, pelo ex, pelo ex do ex. Mas a gente ve como o mundo da voltas neam? E a gente tem ido vários exemplos disso ultimamente
Anfam, acho válido gente brigar e quebrar o barraco agora só por esporte, sem recentimentos!