terça-feira, outubro 09, 2007

MM

O bafo da semana foi a disposição da Receita Federal em apreender todas as peças da exposição sobre a diva do cinema - que seria inaugurada hoje no Rio - com o argumento de que as imagens não seriam arte (fato prontamente negado, é claro, jogando a devida culpa nos organizadores).

Na reportagem, o curador pergunta que competência tem a Receita de definir tal coisa.

Bom, eu já lidei com a Receita Federal bem de perto e é divertido (ou assustador, dependendo do ponto de vista) ver a (in)capacidade dos fiscais e afins de, sem base técnica alguma (e nisso a lei desse país é, mais uma vez, falha para caralho), determinar situações que passam longe do seu conhecimento - e bem perto da ignorância.
Na Justiça há, pelo menos, a possibilidade de argumentar seu ponto de vista com laudos de peritos. Mas só se você tiver muito tempo pra esperar.

Num país burocrático e desorganizado, tudo começa e termina errado.
Ou seja, a gente sempre se fode.



Isso é só pra dizer que esse não é um país sério.
Mas eu continuo aguardando a Marilyn.

3 comentários:

Leo Lazzini disse...

ahhhhh lembrei do james dean :)

Aline disse...

adoro a receita federal!

adoro o CAC!

Clebs disse...

Eu lido com a receita em paralelo....Aquilo é um espelho, uma mini-Brasília.

Triste!

Tb aguardo para as nádegas de MM de perto.

=P