quarta-feira, janeiro 09, 2008

Anormal

Até quando nós vamos ler noticias como essa?
Incrível como a gente se deixa enganar. Uma pessoa supostamente inteligente e esclarecida o suficiente pra saber separar seus preconceitos (antes de mais nada, anormal é o cu da mãe dele) do que é melhor pra uma criança.

De uma pessoa que tem a coragem de dizer "não vejo porquê colocá-la sob a guarda e adoção desse snehor transexual" não se poderia esperar muita coisa.
Afinal, o excelentíssimo promotor tem a certeza de que são muitas as opções na vida dessa criança, não é mesmo? Imagine o mal que causará ao ser entregue a um homossexual e – pior das aberrações – a um transexual.
Aliás, quantos filhos adotivos o promotor tem, hein?

Vergonha dessa elite brasileira.
Vergonha dos Poderes desse país.
Vergonha dessa ignorância mesquinha.

E digo que se isso aqui fosse um lugar com o mínimo de seriedade, seria a hora de declarações não só de representantes de entidades GLS, mas do senhor governador do estado de São Paulo e, quem sabe, do próprio presidente da República (ou de um dos seus ministros já seria suficiente). Cadê a famigerada OAB pra se pronunciar a favor dos tais direitos humanos tanto da criança quanto da transexual?

Saudades do Siro Darlan. Esse sim, nordestino de família pobre, sabia que pouco importa a orientação sexual de quem adota - não é essa a discussão - mas sim o direito de uma família e um futuro a quem precisa.

Vergonha.

5 comentários:

eugostodeumacoisaerrada disse...

Putz o.O


Realmente, lamentável. Hora daquele monte de gente que adora a farofa da Parada Gay mostrar que essa vida não é só purpurina.

Linkarei no meu.


beejo

Leandro disse...

ah baby... tirando pelas amebas que foram e são meus professores, com direito a indignação coletiva quando uma criança foi adotada por dois homens que constituíam um casal, eu, definitivamente, tenho asco dessa classe jurídica. nojinho, sabe qualé? bando de hipócrita! e olha que eu sou adevogado. Mas não me enquadro no senso comum dessas amebas.

Pense você que uma professora, defensora pública, negra e que já foi pobre (o que, ao meu ver, contribui para ter uma visão menos estereotipada do mundo, posto que já passou alguns mal bocados só por ser mulher, negra e pobre, mas que hoje é muito bem sucedida graças ao seu esforço e aos estudos) levantou a questão da adoção por dois homens... A sala inteira ficou indignada e a vaca botou pilha, demonstrando todo o seu preconceito patético... Isso numa turma de pós-graduação, em plena aula!!!! Ou seja, eu devia ser um dos mais novos com meus parcos 24 anos! Teoricamente o povo deveria ter o mínimo de discernimento, livre, pelo menos, de preconceito e tabus ridículos, ainda que não concordem com o tema ou tenham uma opinião distinta. Mas que saibam articular e demonstrem seu ponto de vista sem parecer estúpido, imbecil e limitado. Mas não! Não podemos esperar isso, gaton. E isso, definitivamente, não é elite coisa nenhuma. São os vermes que se vangloriam de se acharem melhores ou mais corretos que o restante do mundo, com sua visão limitada e burra. Enfim... Viva a diversidade.

Clebs disse...

Nauseas...

Little Pet disse...

Direitos humanos, no Brasil só parece existri pra assaltantes, homicidas, terroristas, traficantes, sequestrador ... enfim os orgãos de Direitos Humanos estão cagando para as pessoas de bem deste país. É uma vergonha isso!

Lady Metal disse...

É nessas horas que I heart Norway. Aqui não tem essas putarias.