sábado, fevereiro 02, 2008

Bandeira branca, amor

Eu amo o Rio, sem dúvida, e como em todo caso de amor, a gente vê muitas qualidades mas também muitas defeitos. E como em um longo, antigo, duradouro e verdadeiro romance, os dois brigam mas sempre acabam se entendendo.
Ontem, por exemplo, fiquei mais uma vez maravilhado com a felicidade do povo nas ruas do centro, acompanhado pelo constante baticum das rodas de samba que se formaram desde muito cedo. Mais tarde, a inevitável irritação com a quantidade de camelôs tomando as calçadas da zona sul me fez crer que uma cidade assim não merece o prefeito que tem. Mas pra terminar o dia feliz, quem viu o programa Samba no Céu da Globo News, que reuniu no alto do Pão de Açúcar em um lindo dia de sol todos os diretores de bateria, musas, puxadores, porta-bandeiras das escolas de samba cariocas, além de ícones como Martinho, Beth Carvalho e a linda Dona Ivone Lara, sabe que isso não teria como acontecer em qualquer outro lugar do mundo.

Já São Paulo é a minha cidade preferida, claro. É um caso de paixão. Que, ao contrário do amor, só te deixa enxergar as coisas boas - cada minuto na terra da garoa é motivo de encantamento. Aliás, quando cariocas otários começam aquele papo de que “lá não tem praia”, “a cidade é feia”, “paulista só sabe trabalhar”, “falta corpo pras barbies”, me torno o maior defensor das inúmeras vantagens que a cidade oferece.

Claro que tudo tem o seu limite e o meu veio nessa sexta-feira.
Não dá. Definitivamente, Carnaval em São Paulo não acontece.
Não adianta dizer que está rico, grande ou profissional. Falta uma ginga, um brilho, um algo mais.
E vamos combinar que é a maior concentração de mulheres loiras e sem graça por metro quadrado?! Você olha em qualquer carro de qualquer agremiação e só vê mulher branquela. Senti uma vibe Mardi Gras sem colares e peitões.
Alguém aproveita e avisa lá que as mulatas da Mangueira são insubstituíveis?
Alguém aproveita e conta que Joãosinho Trinta fez sucesso nos 80’s depois que colocou todas as nilopolitanas – brancas, negras, mulatas, índias – de peito de fora em todos os carros?

Nem na manifestação mais popular do país a classe média paulistana larga o osso.
Ô raça!

--

Pra essa temporada de jogação no Rio, não vou fazer aqueeeeeeeeeeela análise de todas as festas e opções. Primeiro por inteira preguiça, falta de tempo e, tipo assim, Carnaval já chegou, nem dá mais tempo, né?
(Nesse sentido, deixo vocês com as previsões de Rosilda Gray, que sabe tudo e não está prosa).
E depois porque dessa vez eu estou deixando a vida me levar e, sem ficar ansioso ou extremamente na fissura por conta das festas, quero diminuir o creu pra segunda velocidade.

---

Mas isso não quer dizer que eu não vá me jogar, é claro. Mas também vou tirar a semana para almoçar nos meus lugares preferidos, jantar nos lugares badalados, rir com os amigos, curtir uns blocos, sambar no miudinho, namorar o namorado e – pasmem! – descansar.

Por isso, o blog dá um tempo, chega na concentração e entra na folia do Momo.

Ah! E tem a minha Beija-Flor arrasando na Sapucaí, tipo imperdível.
E mesmo que eu ache que esse enredo sobre Macapá é uó (vale também a vitória do Salgueiro ou da Viradouro, hein), a apuração na quarta de cinzas é uma das maiores emoções do ano.

Ótimo Carnaval.
Aproveitem, mas com responsabilidade.
Camisinha sempre, sempre e sempre.
Nos vemos na pista - pra quem escolheu Floripa, anota tudo que o babado é certo.

---

É hoje só, amanhã não tem mais.

4 comentários:

Leo Lazzini disse...

haha otimo texto! me diverti com seus amores e vc traduziu lindamente minha relacao com sao paulo. a relacao mais perfeita q tive nos ultimos anos!

disse...

apesar da minha família ser de lá de macapá, eu não gostei muito do enredo. Mas enfim....quem sou eu? hehehe

Esse carnaval era p/ se aproveitar mesmo. Eu terminei um namoro de quase 2 anos na terça....trágico? Sem condições de festa ehehehe

Beijão

Alberto Pereira Jr. disse...

bom.. sua Beija-Flor sagrou-se campeã novamente..

E discordo com você, não vejo muita diferença entre o carnaval na Sapucaí e no Anhembi. Podem dizer que no Rio tem mais tradição, etc.. etc. mas tb ai no Rio que tem a disputa das pseudos celebridades para se tornarem rainhas das baterias.. pessoas que nem frequentam os barracões..

aqui em sp tem sim muita mulata linda.. negra sambando, não tem essa só de branquela.. hehehe

bom não to falando isso em tom exaltado não...

beijaoo e espero que tenhas curtido o carnaval.

Klero disse...

ADORO não ter Carnaval em São Paulo. É uma das festas que menos me agrada, fico beeem longe. =D

E nada de me chamar de classe média paulistana que não larga o osso, hein?! xD