segunda-feira, setembro 08, 2008

Deixa A Vida Me Levar

O finde foi mais do que incrível.
Lá, onde a diversão sempre é garantida, como eu tinha afirmado. A terra da garoa continua sendo a minha cidade preferida (o Rio é paixão, não conta).

Daí que eu tive tempo de me jogar no D-Edge e seu povo bonito-e-carudo, fazer compras no Iguatemi, almoçar na Lanchonete da Cidade (diz que o grupo Braz vai abrir mais três casas no Rio no próximo ano. Ebaaa!), comer um kone (temaki é coisa de paulista) na Augusta, ferver na TWSP, me jogar no esquenta oficial da cidade, tomar café-da-manhã na Bella Paulista (achei ótimo ter que explicar o que é queijo-quente-com-banana pro atendente! Jesus, paulistano só come croissant com gruyere?) e ainda gastar meu Manolo no Cidade Jardim (apesar de que poderia ser em qualquer lugar do mundo, mas é em São Paulo, não passa, na boa, de um Fashion Mall reformado, com um pouquinho menos de charme carioca e cifras paulistanas um tanto quanto mais altas).

O melhor foi ver e rever os amigos blogueiros paulistanos. Pessoas com quem eu precisava estar, rir, me divertir, contar histórias. Com quem, em tão pouco tempo, foram criadas intimidades e afinidades supreendentes.

Mais uma vez, foi ótimo dividir os momentinhos com todos os presentes, do fervido e famoso Jayminho ao meu irmão paulistano Thiago (que elogiou até o meu jeito de amarrar o casaco. Adoro!), passando pelo super cicerone Luiz Eduardo Diniz, vulgo Ludo, e o incrivelmente fofo Celso Dossi (fui intimado a chamá-lo de fofo no blog, ok?). Ah! E finalmente fui muito bem servido de Salton sem gás, se é que vocês me entendem...

Como disse Mr. Tony Goes, o blog é a verdadeira página de relacionamentos da internet. Aliás, ontem fez exatamente um ano que eu conheci essa grande pessoa e seu marido Oscar, além da querida Libanesa, num restaurante de Ipanema. O tempo passa...

No fim, percebi que eu precisava me desligar completamente daqui, mesmo que só por poucos dias. Caminhar sem rumo, me perder, olhar pro céu, procurar coisas novas, não ter medo de nada, viver sem nenhuma certeza do que pode acontecer em poucos minutos, testar todos os meus sentidos.

Me surpreendi ao ir sem planos, sem um roteiro traçado. Na gíria do subúrbio carioca, fui tipo pipa voada. Logo eu, metódico e detalhista até não poder mais.

Ando em uma fase de (re)descobertas, aprendendo a curtir os momentos em que estou sozinho e adorando os momentos de muitos amigos e papos intermináveis.

Preciso disso mais vezes. Quem sabe em breve...

6 comentários:

ludo disse...

Não sei se por estarmos todo dia em contato através dos blogs, mas realmente as intimidade a afinidades por aqui são intensas.
E olha que as trocas de confidências ocorriam em momentos sem álcool.

Volte logo!

Celso Dossi disse...

Assim que eu gosto.

JAYME NETO disse...

e os cariocas sao os preferidos dos paulistas!

pelomenos os meus!

uahuahauha

adorei o final de semana

como diria dhan...foi agradabilissimo!

Lib disse...

nossa, um ano, ja. que noite deliciosa, aquela, nao? amo muito.

introspective disse...

Vc é muito querido, meu irmãozinho! :)

Gui Sillva disse...

salve a conexão RioXSampa.
Só genet fina!!!
saudades de sampa.
do riooooooo!!!!!

beijos