segunda-feira, outubro 27, 2008

How does it feel in my arms?

Depois de uma jornada tripla no finde, a segunda-feira chegou daquele jeito. Foram apenas 12 horas ddormidas nestes em três dias. Imaginem como estou agora: irritação em grau máximo, sono absurdo, ressaca, dor nas costas e até mau humor – coisa rara na minha vida. E se as olheiras não estão gritando, já que o sol bombou no Rio e rolou praia do extremo gay ao extremo HT, a minha voz não é mais a mesma. Estou tão rouco que se fizesse “I’m Bu-burning”, a Bixamuda ficaria com inveja.

Na sexta, depois de um jantarzinho na Braz e uma festinha no Leblon, partimos pra E.Go na Le Boy, que me fez voltar à pista de Copa depois de um longo período afastado. A festa dá uma mudada no público da casa – amém! – e acaba sendo um encontro de amigos. E dessa vez, na cabine estavam MVee, que começou sua residência por lá, e um b2b entre Jeff Valle e Felipe Lira, em uma das 67 comemorações de seu aniversário.

O sábado começou cedo e à tarde partimos pra Farme. Mesmo com o tempo tampado, o calor era grande e todas as bunita se encontraram nas areias de Ipanema. A noite foi de mais um daqueles grandes encontros babadeiros no Felice - que tem as doors mais simpáticas da cidade - com os blogueiros e amigos reunidos pra atualizar os baphos de Rio e SP. Dali, direto praquele lugar que a gente nunca vai: The Week. Pista lotada e mais uma vez o incrível som de Isaac Escalante marcaram a noite na Sacadura Cabral. Destaque pros ótimos remix que o DJ tocou, como In My Arms, da Kylie.

O melhor da TW é que deixa a gente mal acostumado: é só ir a qualquer outro lugar da noite carioca pra reparar o quanto o atendimento é excelente por lá. Vale repetir o eterno elogio ao staff da casa, que mais uma vez se mostrou atencioso e educado - as meninas da entrada e dos bares, as tias da bomboniere e da chapelaria, o segurança da fila do cartão que não deixa ninguém fura-la (principalmente os HTs problemáticos que às vezes aparecem por lá)...
Ah! E ficou constituído o cantinho do close perto da escada, do lado do banheiro, onde tigresas e panteras aparecem no início da manhã. Porque cada felino tem a sua coreografia.

O domingón começou com um almoço em família daqueles (que me fez dormir apenas 2 horas) e uma pinta no Pepê com um bando de racha gostosona da BodyTech – ali é, sem dúvida alguma, o m2 com os melhores corpos de todo o Rio de Janeiro - e provavelmente do país. É até maldade tanto playboy gato junto - e tanta mulher saradona junta, vale dizer - no mesmo espaço. O pescoço entorta, mas nada que uns bons óculos escuros não ajudem a disfarçar.
O dia terminou com uma rápida pinta na Farme pra um koni esperto e uma jogação de leve no 00 pra fechar o finde. O esquema era aquele: muitos meninos bonitos e bronzeados, além de Felipe Lira (e mais uma comemoração de aniversário!) e Rafael Calvente na cabine e Rodrigo Sucesso nas projeções no teto do clubinho da Gávea. Perfeito!

E a semana só tá começando...

2 comentários:

CARIOCA VIRTUAL disse...

Pô, Gui, que inveja!
uma saudade de uma boa balada... o trabalho tem me consumido, mas logo-logo quero encarar um bom verao com direito a muita farra.


bjs

Lucca Koch disse...

O set do Isaac estava bom no incio, ficou estranho no meio MAS O FINAL!! nossa mãe... ATORO O PERIGON DELE!