quarta-feira, outubro 29, 2008

Rio de Dadeira

Há um bom tempo eu não via uma eleição tão movimentada por esses lados. E que tenha deixado o Rio tão dividido: de um lado a Zona Sul com Gabeira e de outro a Zona Oeste e Eduardo Paes. Partilha mais do que curiosa, já que os dois candidatos sempre tiveram a área nobre da cidade como seus locais de trabalho – Paes é o típico bom filho de família tradicional carioca, cursou Direito na PUC, é morador da Barra e nunca foi candidato do suburbão - no máximo Jacarepaguá.

A grande vitória foi a derrota de Crivella e a reprovação do atual governo diante dos 4% de Solange Amaral no primeiro turno. Mas apesar da candidata do atual prefeito ter afundado, infelizmente o fantasma parece não conseguir largar o osso em nenhuma das opções que tínhamos: o PV faz parte do governo, é dono de uma secretaria e fez coligação com o PSDB, indicando Luiz Paulo pra vice. Já Paes é cria de Cesar, teve início no PFL e passou por todos os partidos da base em busca de um lugar ao sol.

Apesar de achar o Gabeira um político – no sentido amplo da palavra – melhor, não tenho rejeição ao Paes. Pelo contrário, acho até que a ganância pelo poder - que ele já demonstrou que tem de sobra, vide as alianças volúveis e o recente pedido de desculpas ao Lula - pode levá-lo a executar um ótimo governo e vir a ser o candidato natural pra substituir o Cabral láaa na frente. Agora é esperar e acreditar que alguma coisa pode mudar nessa cidade, que anda tão necessitada de um choque de ordem e de um pouco de cuidado.

3 comentários:

Gui Sillva disse...

pensei que os cariocas fossem querer mudanças.
agora o prefeito vai ter que arrumar boquinhas para o Crivella, para o Lupi, para o Piciani, para a Clarissa Garotinho, para o Roberto Jefferson, para a Carminha Jerominho...

Daniel disse...

Já que você falou no fracasso da candidata do Cesar Mala, foi curioso ver as obras do Rio Cidade no Lins.
Antes do período eleitoral, elas andavam a passos de cágado tetraplégico. Uma rua importante do bairro ficou mais de um ano fechada. Chegou julho, a obra disparou e parte da maquiagem (asfalto e calçamento novos) já foram logo apressados.
Assim que acabou o 1º turno, a obra voltou ao seu rítmo lento anterior e provavelmente vai ficar de herança maldita pro Paes.

Alexandre Lucas disse...

Achei vergonhoso o índice de abstenção na Zona Sul...
=(