segunda-feira, janeiro 05, 2009

Que fim de ano foi esse?

Essa é a pergunta do ano novo. Porque 2009 chegou de um jeito que os seus 5 primeiros dias valeram pelos próximos 360. Já até tô pensando em 2010...

Falando sério, eu estava certo: foi o melhor Reveillon dos últimos tempos. Nem a chuva, que era promessa certa pra essa semana, apareceu. Apenas no dia 31 não fez sol, daí explica-se a cor Globeleza que estou e que me rendeu apelidos vários - urucum, roraima e terracota foram alguns deles.

Além disso, encontrar os amigos foi mais uma vez um dos melhores presentes de ano novo que eu poderia ter tido. Os vários clãs do Rio reunidos, os fervidos de twitter, os blogueiros do meu coração, os que estão morando fora e vieram se jogar, o povo de Sampa/BSB/Minas...

E como se não bastasse tudo isso, as festas foram incríveis. Momentinhos mágicos, papos divertidos, encontros animados, músicas inesquecíveis, vibe únicas, pessoas do bem, dias inesgotáveis...

Assim, vamos ao resumão das primeiras festas do ano em que dei as caras:

New Years Eve Party @ The Week Rio

Passei a virada de 31 pra primeiro em casa, com a família. Dei aquela moral, né? E mamãe, papai, vovó, titias, titios e os cachorros ficaram super felizes com a minha presença.
Minha montação seria uma tshirt branca, a mesma cor do reveillon anterior, mas em cima da hora eu resolvi mudar os planos e trocar por um rosinha bem clarinho... tudo pra atrair novas energias.
Tão logo soaram as 12 badaladas, peguei meu rumo pra encontrar os companheiros de aventura e curtir o Reveillon de verdade.

Chegamos cedo na TWRio e antes das 2 da manhã já estávamos belissimamente entrando na boate da Sacadura Cabral. Claro que a minha primeira atitude foi abrir uma champã pra lavar a alma e dar início aos trabalhos. A casa estava lindamente decorada, com balões brancos e prata pendurados sobre a pista - que de lá caíram por volta das 3 da manhã -, uma super mesa de frutas logo na entrada e muitas palmas nos arranjos das mesas, além de um enorme painel de leds com mensagens de coisas boas pra 2009. Detalhe, aliás, pra pulseirinha prata da área vip, cor que eu nunca tinha visto por lá. Até nesse pequeno detalhe o clube pensa, né?

E foi ótimo chegar cedo: encontramos os amigos e ainda desejamos o melhor de tudo pra todo mundo: prosperidade! dinheiro! saúde! amores!. Uma vibe inexplicável e de total felicidade tomou conta das pessoas.

E assim seguiu toda a noite, com o povo se revezando entre a pista principal e a pista Docas, que mais uma vez teve a incrível vibe ibizenca do ótimo DJ Rafa Ariza, além do super Pacheco. Eu, que sou puxa-saco até debaixo d`água, não me arrisquei a sair de perto do Peter Rauhofer, claro (não contem pra ninguém, mas até ver o cara trocando olhares muito interessados pra um brazilian boy eu vi...). Só ele pode tocar Say it Right aquela hora da manhã e me fazer viajar num dos melhores remix das pistas. Sem contar o novíssimo remix de Miles Away, que ninguém ainda conseguiu pegar. Gente, é muito pro meu coração.

A vip fechou, desci e fiquei ali, de frente pro DJ, fazendo a linha funk "e eu só saio daqui quando o DJ também sair". E assim foi até pouco mais de 10 da manhã.

Mais uma noite pra entrar na história.

Pool Party @ Estação do Corpo

Depois de meia hora de sono profundo sentado no pufe da sala da casa de um amigo, um crepe de peito de peru com mussarela de bufala e um suco de acerola empurrados goela abaixo, já estávamos prontos pra mais uma jogação.

Por prometer ser o grande evento da temporada, o dia começou tenso. O celular não parava de tocar com o povo desesperado querendo chegar num horário digno - debaixo do sol de meio-dia não dá pra curtir nada, né? - mas com medo dos valores progressivamente assustadores. Afinal, contava-se nos dedos quem tinha convite antecipado apenas para a pool. E às 5 da tarde batia a casa dos 120 reais...

E foi aquilo, claro. Uma festa linda e inesquecível.

A vibe de uma pool party de verdade - sorry, mas tem coisa que só o clima do Rio e a beira da Lagoa permitem -, os corpos mais bonitos do mundo, os rostos mais sorridentes da temporada, as centenas de pares de olhos azuis perdidos na multidão, a beleza do clube, o show de fogos às 10 da noite, as imensas bolas de plástico que vira e mexe faziam a alegria da galera da pista, os modelitos Barbie Praia e Barbie Resort nos quais as bees mais animadas se jogaram (teve uma famosa da noite que chegou com uma bolsa rosa imensa da Puma - isso bastou pra acharmos que ela estava fazendo check in no chalé do Resort do Colocón, né?), o povo que se jogou na água e até as performances de sereias e Alice no País das Maravilhas um tanto quanto confusas porém divertidas...tudo contribuiu pra tornar uma tarde mais do que agradável e firmar a posição de Rosane Amaral como a rainha das piscinas gays do país.

Porém, apesar de todos os elogios, algumas coisas visivelmente chegaram a incomodar o público. Infelizmente, há um quê de herança da X nessa festa. E daí já viu, né: banheiros químicos insuficientes e imundos, ausência de lixeiras, garrafas espalhadas por todos os cantos, falta de água e o pior atendimento que um bar poderia ter (tinha atendente que não sabia o que era energético e levou um gatorade e um redbull pra um amigo escolher).

O som também poderia ter sido melhor. Se nas outras edições que rolaram por lá quem comandou foi Tony Moran, dessa vez Willian Umana e Bill Hallquist não deram conta do recado e o melhores sets, sem dúvida, foram dos residentes Scorpio e Flavio Lima. O último, aliás, merece ganhar crédito e força na cena carioca.

Vale dizer que o Umana não fazia parte do line up original da festa, apenas da R:evolution. E assim que cheguei na Estação, vieram me dizer que o DJ não mandou bem na noite anterior. Agora me diz: por que repeti-lo?!
O Bill eu já conhecia. O cara faz um bom set, mas que se aproximou mais do pop do que do tribal, com uma sequência interminável de hits de divas. Sente o drama: Single Ladies (nessa hora eu me arrependi de ter esquecido o maiô!), as duas de Leona Lewis, Miles Away, Give it2me, Hillary Duff com sua rola Mercy, Pussycat Dolls (pela segunda vez na tarde, diga-se) e até My love is your love da Whitney foram algumas das músicas que ele tocou. Um tanto quanto acima do tom, concordam?

Saímos às 2:30, um pouco antes do término oficial do evento, com a sensação de dever mais do que cumprido. E aguardando as próximas edições na esperança que os pequenos detalhes sejam acertados pra que a festa fique ainda mais perfeita.

Ponte Aérea @ The Week Rio

A primeira noite de sábado do clube foi dedicado ao projeto Ponte Aérea, que contou com o DJ João Neto, já queridinho dos cariocas.
O DJ, como sempre, foi de uma técnica impressionante e um repertório absurdo. A casa estava absolutamente lotada, com a área vip apinhada de gente e muitas pessoas conhecidas e queridas.

O mais engraçado é que dessa vez, das pessoas do meu grupo de amigos, cada uma tomou um rumo diferente durante a noite e a gente mal se viu. Diante disso, as histórias e os fatos são tantos e tão diferentes que são necessárias horas e horas de papo pra gente começar a entender o que aconteceu nesse sábado.

Só sei que, mais uma vez, a noite rendeu bafos pra eternidade.
Ótimo jeito de curtir o primeiro fim de semana do ano!

---

A ordem agora é descansar, recuperar o fôlego e tirar o pé do acelerador pra mais um ano que está começando e que promete muuuitas coisas.

Porque ninguém aqui é fraco, né?

8 comentários:

Daniel disse...

quase rolou um after da pool party no Bob's do Lido. Pencas de bees matando a larica por lá (até eu).

introspective disse...

Me fala o que vc tomou pra escrever esse texto, que eu quero dois desse! hahahaha

Beijos, querido!

ebortolotti disse...

ai bilus, vcs blogueiras andam tao nua mania de fazer release...
me deu preguiça
beijo beijo

Alexandre Lucas disse...

Fim de ano bombou =)

Anónimo disse...

release da preguica mesmo.

Anónimo disse...

vc jura que achou a pool party isso tudo... sabe aquelas festas que vc se diverte mas tudo eh um lixo... pois é, para mim a festa foi a cara da dona... horrorosa. Ela é cafona, então nao tem como esperar muito né... me senti roubado por pagar R$ 140 para isso.. Umana e Bill são djs de 5a categoria... enfim, lição aprendida... no carnaval vou passar longe das festas dela... VIDA LONGA A TW !!!
bjs urucum delicia
ainda te pego para uns amassos estou de olho em vc...

Alexandre disse...

Achei esse final de ano o melhor dos ultimos anos. A Farme parecia carnaval. Acho que foi um dos reveillons mais lotados. Só não gostei mais do que os de 2002/2003, de 2004 pra cá, sem dúvida o melhor!

marcelo disse...

meu melhor reveillon ever.!!!!